• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Solidariedade acima de tudo: ação arrecada seis toneladas de alimentos no dia 1º

A campanha de arrecadação vai continuar até o final de maio

Publicado: 03 Maio, 2020 - 13h04

Escrito por: CUT BAHIA

Divulgação
notice
Equipe de Voluntários na ação de Articulação Solidária na Bahia

A solidariedade esperada da população baiana se materializou no Primeiro de Maio, quando nada menos do que seis toneladas de alimentos e gêneros de primeira necessidade foram arrecadados para doação a famílias carentes de Salvador e Região Metropolitana, bastante atingidas pelas crises econômica e do coronavírus. Isso fez parte de uma campanha coordenada pelas Centrais Sindicais no estado, além da Frente Brasil Popular, Secretaria Estadual de Emprego, Renda e Esporte (SETRE) e entidades que integram o Comitê Popular Solidário que se juntaram para organizar um grande ato de fraternidade e resistência no Dia Internacional do Trabalhador e da Trabalhadora.

 

A arrecadação dos produtos teve como ponto de apoio o Parque de Exposições de Salvador, que contou com equipes durante todo o dia para receber as doações num sistema de drive-thru (as pessoas não precisaram sair dos carros). Dirigentes sindicais representando suas entidades se fizeram presentes levando contribuições e também ajudando na logística para colocar os produtos num caminhão ali estacionado.

 

DivulgaçãoDivulgação

 

Pela primeira vez na história a data internacional alusiva à classe trabalhadora foi realizada sem as tradicionais manifestações de ruas. Desta vez ocupou as ondas da internet, transcorrendo pelas redes sociais. Nada de aglomerações de pessoas para evitar o contágio pelo Covid-19.

 

O tema para este ano foi “Saúde, emprego e renda. Um novo mundo é possível com solidariedade”. Na Bahia, o Primeiro de Maio foi promovido pela CUT, CTB, Força Sindical, Nova Central e UGT, Frente Brasil Popular e mais de 120 entidades que integram o Comitê Popular Solidário da Bahia pensado sobre a ótica da ajuda humanitária daqueles que estão prejudicados economicamente diante da grave crise na saúde decorrente do novo coronavírus. No sentido mais amplo da organização formou-se a Articulação Solidária na Bahia com o apoio da SETRE.

 

DivulgaçãoDivulgação

Davidson Magalhães (Secretário da SETRE) e

Milton Barbosa (Superintendente da Economia Solidária)

 

A programação ao vivo nas redes sociais foi apresentada na parte da manhã pela jornalista da TV Kirimurê, Dina Lopes. Na sequência, Ângela Guimarães, presidente da UNEGRO, mediou um debate com representantes das centrais sindicais da Bahia, onde fizeram um balanço e responderam perguntas sobre a atual conjuntura política e econômica do país, os ataques do governo Bolsonaro à classe trabalhadora e as medidas que as entidades sindicais vem adotando para proteger suas respectivas categorias da pandemia do coronavírus.

 

Edmilson BarbosaEdmilson Barbosa
Dina Lopes - TV Kirimurê

 

 

Esperamos que esse seja o último Primeiro de Maio que não estaremos nas ruas. Queremos fazer o corpo a corpo com o povo. As ruas é o nosso grande espaço de luta e resistência.
- Leninha - Presidente da CUT Bahia

 

O momento foi desafiador para todos, pois a atividade foi na rua (no Parque de Exposição) mas o palanque foi virtual. Porém, mostrou para a sociedade os anseios e projetos que precisam ser priorizados, bem como o processo de mobilização do povo. O “Fora Bolsonaro” foi muito citado ao longo do dia em todo o país. É preciso reconquistar a democracia brasileira na perspectiva de retomada da economia pós-pandemia, o que deve passar pela saída do presidente Jair Bolsonaro. Ele desdenha dos milhares de mortos, enquanto o coronavírus segue avançando e provocando mais vítimas no país.

 

DivulgaçãoDivulgação

 

Na parte da tarde, as entidades baianas deram prioridade à retransmissão da programação nacional das centrais e que contou com a presença de diversos artistas de renome. Aqui, a jornalista Márcia Ferreira, do Sindicato dos Telefônicos, conduziu o balanço da arrecadação e o “esquenta” da prévia da “Live das Mulheres” com as deputadas Olívia Santana e Neusa Cadore, além de Rosa Souza, vice-presidente da CTB Bahia, Célia Firmo, coordenadora do MOC (Movimento de Organização Comunitária), a professora Celi Taffarel, dirigente da CUT Bahia e Elisângela Araújo, da Secretaria Agrária Nacional do Partido dos Trabalhadores. Foi mais um grande debate sobre a pauta das mulheres nas esferas estadual e federal.

 

O final da atividade trouxe um balanço positivo: foram arrecadadas mais de 6 toneladas de alimentos e produtos diversos, sem contabilizar as doações feitas em postos no interior do estado. Por sinal, as doações poderão ser feitas até o final do mês. Mais de 400 famílias cadastradas pelo Comitê Popular Solidário serão beneficiadas.

 

DivulgaçãoDivulgação
Leonardo Urpia - Vice-presidente da CUT Bahia
Hoje foi um grande dia e nossa imensa gratidão aos que vieram aqui no parque. Continuaremos juntos na luta contra o coronavírus e na certeza de que dias melhores virão para o povo brasileiro.
- Leonardo Urpia - Vice presidente da CUT Bahia

Representando o Comitê Solidario Popular, Anne Sena, presidente da Unisol, destaca que foi um grande gesto de solidariedade da população baiana que, mesmo sob distanciamento social, se esforçou para ajudar as famílias que estão sofrendo os efeitos perversos das crises de saúde e da economia, cujo resultado é desemprego e alastramento da fome.

 

AGENDA CUT BAHIA

Você pode acompanhar mais detalhes do Primeiro de Maio e de outras ações. Na próxima semana, a partir de segunda-feira, teremos a programação local da CUT com diversos temas transversais aos interesses da classe trabalhadora. Sempre às 15h na página da CUT no Facebook.