• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Dia Nacional de Mobilização

Publicado: 21 Novembro, 2018 - 12h10

Escrito por: Cedro Silva - presidente da CUT Bahia

notice

Todos as ruas para defender a Previdência Social e o direito de se aposentar.

Em Salvador os protestos vão acontecer no Comércio/Cidade Baixa, como também na Região Metropolitana e outras cidades do interior do estado.

A concentração acontecerá a partir das 9h da manhã em frente ao Mercado Modêlo, de onde sairemos em passeata, passando pela Justiça do Trabalho e seguindo até a sede central da Previdência Social, onde encerrarmos com um ato em defesa da Previdência, contra a reforma e pelo direito de qualquer trabalhador ou trabalhadora se aposentar.

As Centrais Sindicais CUT, CTB, UGT, FORÇA SINDICAL, NOVA CENTRAL, CGT-B, CSP-CONLUTAS, CSB E INTERSINDICAL, mobilizam suas bases e sociedade para defender o direito de qualquer trabalhador ou trabalhadora se aposentar.

Foi com luta e unidade e a maior greve geral já feita no país, em abril do ano passado que conseguimos barrar a reforma da previdência no governo golpista e ilegítimo de Michel Temer (MDB).

A reforma que o governo eleito pretende fazer é pior do que a do governo ilegítimo e golpista. Ou seja, é o mesmo modelo que foi implantado no Chile e que levou milhares de trabalhadores e trabalhadoras a miséria e muitos não conseguiram se aposentar.

Modelo de Previdência proposto por Bolsonaro levou idosos do Chile à miséria

Adotada em 1981 no Chile, a capitalização da Previdência levou ao empobrecimento e miséria dos idosos. Governo chileno vai fazer uma nova reforma porque a situação dos idosos está insustentável

O regime de capitalização da Previdência que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) quer adotar no Brasil para, segundo ele, resolver o rombo nas contas públicas, foi adotado no Chile e o resultado foi o empobrecimento e a miséria dos idosos. Quase 40 anos depois, o governo chileno deve enviar uma nova proposta de reforma porque a situação dos idosos está insustentável, muitos não conseguiram se aposentar e a maioria dos que conseguiram recebe quase metade do salário mínimo local.

Como é o sistema de aposentadoria no Brasil

O atual sistema brasileiro funciona por repartição, ou seja, os trabalhadores e as trabalhadoras com carteira assinada contribuem mensalmente com um fundo público que garante a aposentadoria, auxílios doença e acidente, pensão por morte e benefício assistencial. O trabalhador da ativa paga os benefícios de quem já está aposentado e quem pagará a sua, no futuro, é quem estiver trabalhando.

Como é o sistema de aposentadoria no Chile

No Chile, a reforma feita em 1981, durante a ditadura militar de Augusto Pinochet, adotou o sistema de capitalização da Previdência, no qual cada trabalhador ou trabalhadora faz a própria poupança, que é depositada em uma conta individual nas Administradoras de Fundos de Pensão (AFPs), que podem investir no mercado financeiro. Na prática, isso significa que o valor da aposentadoria de um trabalhador depende do rendimento que a conta individual dele tiver.

Os trabalhadores chilenos são obrigados a depositar ao menos 10% do salário por no mínimo 20 anos para se aposentar. A idade mínima para mulheres é 60 e para homens, 65. Não há contribuições dos empregadores nem do Estado.

Após 37 anos da implantação do modelo de capitalização, apenas metade dos trabalhadores e trabalhadoras chilenos conseguiram se aposentar. E como a maioria ganhava salários baixos, ficou grandes períodos desempregada ou não conseguiu fazer uma poupança com recursos suficientes, aproximadamente 91% dos aposentados recebem benefícios de cerca de meio salário mínimo do país, o equivalente a, em média, a R$ 694 – o piso nacional do Chile é de 288 pesos, ou R$ 1.575,66.

Suicídio social

“A implantação do modelo chileno no Brasil completaria o suicídio econômico e social em curso [no Brasil], uma vez que a Previdência Social é um dos principais sistemas de distribuição de renda no nosso país”, afirmou o economista e professor da Unicamp Eduardo Fagnani, em entrevista ao site de Lula.

Segundo ele, 30 milhões de brasileiros recebem benefícios da Previdência Social, sendo que 70% recebem apenas um salário mínimo. “É um importante mecanismo de proteção social e que contribui para a queda da desigualdade social”, diz o economista, que explica, também, que o sistema chileno beneficia somente os fundos de pensão privada.

22/11 DIA NACIONAL DE MOBILIZAÇÃO EM DEFESA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL E PELO DIREITO DE SE APOSENTAR

CONCENTRAÇÃO 9H EM FRENTE AO MERCADO MODÊLO

CUT, CTB, UGT, CGTB, CSP-CONLUTAS, FORÇA SINDICAL, NOVA CENTRAL, CSB, INTERSINDICAL

 
carregando
carregando