• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Categoria denuncia precariedade da educação em Camaçari e tem apoio popular

Publicado: 27 Setembro, 2018 - 11h21 | Última modificação: 27 Setembro, 2018 - 11h45

Escrito por: Ascom Sispec

notice
Os dois anos com zero por cento de reajuste salarial, problemas na estrutura física das unidades escolares, falta de material didático e itens básico, assim como os demais problemas que demonstram o total descaso da Administração Municipal com a educação, foram denunciados pelos servidores do magistério da rede pública municipal de Camaçari durante ato na manhã desta segunda-feira (24/09). 
Saindo da sede do Sispec, foram percorridas as ruas do centro da cidade, passando pela Praça Abrantes e culminando na Praça Desembargador Montenegro. Os professores portavam faixas e gritaram palavras de ordem protestando contra a precariedade da educação no Município. A população demonstrou apoio à categoria e, inclusive, pais de alunos utilizaram-se do microfone para ressaltar a compreensão pela situação enfrentada pelos docentes, assim como manifestar insatisfação com o governo municipal em relação à educação.
Antes do ato, os servidores do magistério participaram de assembleia. Na oportunidade, o presidente do Sispec, Jorge Freitas, explanou sobre o ofício protocolado na Secretaria da Administração (Secad) requerendo a antecipação das parcelas do retroativo; busca de uma nova proposta para plano de saúde, ratificando a solicitação para os interessados enviarem os dados do titular e dependentes ao sindicato; e leis que regem à categoria.
A diretoria do Sispec, no uso de fala, ressaltou sobre a eleição sindical, que deve acontecer na primeira semana de novembro. Para tanto, deve ser agendada assembleia exclusiva para filiados no mês de outubro para que seja instaurado o processo eleitoral. Ainda foi comunicado sobre o ato da campanha Ele Não, que acontece no próximo sábado (29), às 14h, com concentração no Campo Grande, em Salvador.
carregando
carregando