• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

VAMOS ÀS RUAS PARA LUTAR PELA EDUCAÇÃO DO BRASIL

Publicado: 14 Maio, 2019 - 22h51 | Última modificação: 15 Maio, 2019 - 00h14

Escrito por: Ascom CUT Bahia Aline Damazio

notice

A CUT Bahia mais uma vez avança na defesa de direitos da classe trabalhadora, capitaneando mais uma missão, a Central estará no dia 15/5, no Campo Grande, na luta permanente em defesa dos (as) professores (as), na Greve Nacional dos Trabalhadores da Educação.

Dirigentes da CUT Bahia estarão mobilizando a Bahia lado a lado com professores das universidades federais, estaduais, escolas públicas e particulares. Caminharemos juntos, serão milhares de docentes mobilizando resistindo e aderindo à mobilização dos que não concordam com o descaso da educação. 

As medidas adotadas pelo atual governo à educação colocam em risco todo um sistema educacional público brasileiro que afetará justamente a população que depende do ensino público de qualidade de escolas e universidades para adquirirem conhecimento formativo.

Medidas nefastas como as que estão sendo aplicadas, na contramão de atitudes de líderes mundiais que inventem com força total em educação, mudarão para muito pior o futuro do Brasil.

Não resta alternativa para a categoria de professores que paralisar as atividades para chamar a atenção da sociedade brasileira dessa caótica realidade que aproxima e como afetam toda a classe trabalhadora dos docentes e o futuro das gerações brasileiras.

Para o presidente da CUT Bahia, Cedro Silva este é momento das categorias de trabalhadores se unirem para avançarmos contra as medidas arbitrárias que tornam o governo Federal inimigo da educação. “Essa mobilização é para lutar por um futuro de uma nação, pois quando falamos de desmonte de educação, redução de verbas é aniquilar com o futuro de uma geração que depende do ensino público”.

Para o coordenador Geral do Sindicato dos Professores no Estado da Bahia (Sinpro), Allysson Mustafa o momento é de ir para ruas em unidade combater a incompetência de quem atualmente gere a educação do Brasil. “Professores de várias escolas já decidiram paralisar suas atividades para unir forças neste momento crucial da luta dos trabalhadores em educação, pela defesa dos seus direitos e da Educação no Brasil.Estaremos participando, também, de atos nas cidades de Feira de Santana e Vitória da Conquista”, destaca.

Já a presidenta do Sindicato dos Professores e Professoras da Rede Municipal de Camaçari (Sispec), Márcia Novaes é enfática no convite para a luta. “Compreendendo os ataques à classe trabalhadora e o total desmonte da educação, o SISPEC convoca toda a categoria a participar do ato unificado”, afirma.

O momento é critico e exige ação, pois os cortes na educação afetam diretamente os professores e toda a população que depende da educação pública, universal e de qualidade, por isso, o chamamento e a grande adesão nacional.

Como enfatiza a coordenadora geral da Seção Sindical dos Docentes da Universidade do Estado da Bahia (Aduneb) Ronalda Barreto.“Temos todos os dever de realizarmos com unidade, organização e muita energia, atos que sejam contundentemente ouvidos pela maioria da população brasileira e baiana para resistir aos planos de desmonte da educação pública promovidos em esfera nacional e estadual.

Todas as categorias darão apoio total à mobilização dos professores, contra a reforma da Previdência e em defesa da aposentadoria por entenderem a gravidade do momento e para já caminharem para uma das maiores mobilizações da história que é a greve geral no dia 14/6.

Conheça algumas das medidas do Governo Federal 
Os sucessivos cortes nas políticas educacionais (ensino superior e educação básica) e a ameaça de acabar com a vinculação institucional que assegura recursos para a educação Fundeb e outras políticas;

O patrulhamento ideológico nas universidades e a ofensiva Lei da Mordaça (Escola sem Partido ou de Partido Único)

A perseguição ao pensamento crítico com enxugamento de verbas para cursos de filosofia e sociologia nas universidades;

A inoperância inescrupulosa do Ministério da Educação, que afeta a qualidade do atendimento público nas escolas, institutos federais e universidades

Saiba onde terá ato em defesa da Educação e Previdência:
Salvador- Campo Grande – 9h
Camaçari – Ao lado da Prefeitura - 8h30
Feira de Santana – Praça do Instituto Gastão – 8h30
Brumado – na Igreja Matriz – 9h
Caetité – Praça da Feira -8h
Cruz das Almas – Portão Principal da UFRB - 8h
Juazeiro – no INSS – 8h
Eunápolis – Praça do Pequi – 13h
Guanambí – Praça Gercino Coelho – 9h
Ilhéus – Estádio Mario Pessoa – 9h
Itaberaba – IF Baiano – 8h
Itabuna – Jardim do O – 15h
Porto Seguro – Trevo do Cabral – 8h
Santo Antônio de Jesus – Praça das Vans- 8h
São Félix do Coribe – Ponto da Van – 7h
Vitória da Conquista – Praça 9 de novembro – 8h
Teixeira de Freitas – 8h