• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

SINDICALISTAS E ENTIDADES CONSTROEM AÇÕES VOLTADAS PARA SAÚDE DO TRABALHADOR

Publicado: 28 Setembro, 2019 - 10h01 | Última modificação: 28 Setembro, 2019 - 10h09

Escrito por: Ascom CUT Bahia Aline Damazio

notice

A Central Única dos Trabalhadores da Bahia (CUT/BAHIA) promoveu nesta sexta-feira (27), no auditório do Sindipetro, o Seminário de Saúde do Trabalhador (a) que debateu a defesa de centros de atenção de saúde do trabalhador e as políticas públicas nacionais voltadas para o tema, assim como o envolvimento do governo.

A iniciativa é uma resposta do movimento sindical e entidades que cuidam da saúde do trabalhador que estão na luta para que não seja vendido o prédio que é sede da Diretoria de Vigilância e Atenção à Saúde do Trabalhador (DIVAST)/Centro Estadual de Referência em Saúde do Trabalhador (CESAT), que há 30 anos é referência nacional na atenção integral à saúde do trabalhador do SUS na Bahia.

A reunião antecipou as discussões e o amadurecimento de ações para além de combater a venda da sede, lutar para que o governo invista no centro de referência no tratamento no cuidado da saúde do (a) trabalhador (a), na prevenção de doenças ocupacionais e acidentes de trabalho, como também empregar mais assistência aos profissionais e em novas tecnologias de segurança do trabalho.

A reunião contou com a participação do presidente da CUT Bahia, Cedro Silva; a dirigente da CUT Bahia e do Sinttel, Edla Rios;presidente e dirigentes do Sindipetro; Sinttel; Sinposba; do Sindoméstico; Sindicato dos Metalúrgicos; representantes do partido de esquerda do PT; Psol; PcdoB; representante da deputada estadual Fátima Nunes; deputado estadual Hilton Coelho; a sanitarista Adriana Rabelo; a sanitarista Ana Carina Dunham; a médica do trabalho, Eliane Cardozo Sales; sanitarista Milene Wasconcellos; representante do Conselho Estadual de Saúde da Bahia, Francisco José Souza e o presidente do SINPOSBA, Antônio Lago.

O encontro possibilitou uma reflexão sobre o papel dos movimentos sindicais nas lutas pelo não retrocesso dos direitos sociais, a descentralização da política de saúde do trabalhador na Bahia no contexto político atual, a nova organização do trabalho, o adoecimento mental, enfrentamento do momento atual da saúde do trabalhador na Bahia, doenças do trabalho, análise da saúde do trabalhador nos últimos 10 anos e índices de acidentes de trabalho.

“Temos que avançar fazendo nosso papel de defesa da classe trabalhadora.E o trabalho que a DIVAST/CESAT desenvolve é muito importante para a saúde do trabalhador e juntos vamos na luta em ações públicas que fortaleçam a saúde do (a) trabalhador (a)”, afirma Cedro Silva, presidente da CUT Bahia.

Complementando a fala, a dirigente da CUT Bahia, Edla Rios reforça a união de forças. “Vamos fazer uma força tarefa para não permitir o desmonte de um local que é referência no assunto. Reunir entidades, sindicatos e trabalhadores que passaram por atendimento no centro referência na saúde do trabalhador para lutarmos juntos”, afirma.

Durante o encerramento da atividade, em decisão das centrais foi afirmado através do comprometimento dos participantes a luta efetiva para que o prédio do DIVAST/ CESAT não seja vendido, pois o que foi doado não deve ser comercializado pelo poder público visando somente o capital em detrimento ao social. Também ficou estabelecido o encaminhamento de uma nova reunião do coletivo na próxima sexta-feira (4), às 9h, na sede da CUT Bahia para finalizar a elaboração da construção estratégias mais abrangente sobre a defesa de centros e entidades que tratam a saúde do trabalhador (a).