• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Entrevista exclusiva sobre a CHAPA 2 – RENOVA ANDES

A Chapa disputará as eleições do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior

Publicado: 02 Abril, 2018 - 09h18

Escrito por: Ascom CUT BAHIA - Aline Damazio

notice

Em entrevista exclusiva para o site da CUT Bahia, Celi Taffarel, diretora do Sindicato dos Professores das Instituições Federais de Ensino Superior da Bahia (APUB) detalha importantes informações sobre a CHAPA 2 – RENOVA ANDES que entrará na eleição para ganhar do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES), uma eleição nacional importante para CUT Bahia. Com 92 seções sindicais no Brasil com aproximadamente 80.000 trabalhadores na base, um dos grandes sindicatos de professores universitários da América Latina.

RENOVA ANDES rumo à vitória!

Confiram a entrevista:

P – Descreva a Chapa Renova Andes

R-   É um coletivo de professores que fazem parte de universidades, institutos federais, de colégios de aplicação do Brasil. Todos sindicalizados atendidos pelo sindicato nacional com 92 seções sindicais no Brasil com aproximadamente 80.000 trabalhadores na base, isso significa que é um dos grandes sindicatos de professores universitários não só do Brasil mas da América Latina.  Esse movimento docente dos sindicalistas da universidade reuniram em 2012 para discutir refletir e de lá para cá se constituiu esse movimento que culmina em janeiro de 2018, no Congresso Nacional do antigo nacional coletivo que marca uma plenária do RENOVA.  Antes já tínhamos feito reuniões anteriores em outros congressos.  São cerca de 100 professores em plenária ratificando que temos um plataforma política diferente da plataforma política implementada pela atual direção.

P – Quais são as principais diferenças entre A CHAPA 2 - RENOVA ANDES da atual gestão do sindicato?

R- Vou destacar três pontos que diferem direção. Vamos pegar a questão do golpe, nós do RENOVA ANDES, nos posicionamos no sentido de que sim, temos que combater esse golpe, que está implementando o plano dos derrotados, trazendo um entulho autoritário que está destruindo a democracia os direitos conquistados na educação e em outros setores. Portanto nós admitimos tem um golpe temos que combater.

O segundo nós estamos extremamente preocupado com aquilo que é preço dos professores no seu dia a dia que diz respeito à carreira e salário, no que diz respeito às condições de trabalho tanto das universidades estaduais como das federais, como os institutos tecnológicos como nos colégios de aplicação. Nós temos como prioridade lutar pelas reivindicações específicas da categoria. Não no sentido corporativo, a relação disto com alimentação de um ajuste estrutural de um ajuste como golpe avança de maneira desenfreada destruindo tudo que encontra pela frente os direitos dos trabalhadores aquilo que é benefício conquistar.  E o terceiro ponto de referência nós queremos um ano de sindicato nacional para todos e para todas isso significa construir a unidade na base diferente, identificar a construção da unidade por dentro do movimento docente é fundamental para além do movimento docente com todos aqueles setores para combater a destruição do temos aí para ele. Destacamos o fórum a educação não podemos nos afastar das entidades que estão lutando.

P – Qual é a importância de um dirigente da CUT- Bahia, de uma mulher liderar a CHAPA 2 - RENOVA ANDES, já que uma chapa de formação nacional

R - Levarmos em consideração a nossa consciência de classe o movimento docente no nosso país.  A escolha de Celi Taffarel da Bahia foi através critérios estabelecidos nacionalmente na convenção, a exemplo de ter uma chapa com uma professora com credibilidade, que tenha grande contribuição acadêmica. Por merecimento, pelos serviços prestados à educação do estado da Bahia. Eu sou conhecida como uma pesquisadora na área da educação do campo na área do esporte, com 42 anos de magistério superior, onde formei mestres e doutores, com uma contribuição de mais de 40 livros periódicos e portanto esse era um dos critérios, além de alguém que tenha participado do sindicato nacional Andes. Eu também já fui vice-presidente da seção sindical e o do movimento dos professores da Universidade Federal de Pernambuco, como também terceira tesoureira ou seja pertencente ao bloco da tesouraria da direção nacional e internacional, secretária-geral do sindicato nacional e sou uma militante de base com todas as categorias como dos Petroleiros com a categoria dos servidores públicos e com os agricultores.  Estou envolvida nos organismos da luta de classes dos movimentos de luta social no partido. E o terceiro critério é assumir a responsabilidade alguém que se identifique com as bandeiras acumuladas pelo RENOVA ANDES que são maneiras que unificam se dirigem a base que são bandeiras que se diz outras categorias que são bandeiras que buscam unificar a luta que são bandeiras que busca enfrentar o golpe e a devastadora destruição que esse golpe está causando aí nosso pai e principalmente na educação. Espero estar à altura deste grande desafio que é enfrentar em um período de estado de exceção a defesa do sindicato Nacional a defesa da categoria

P – Explique um pouca mais campanha desenvolvida e informa a data da eleição:

R- A eleição será realizada nos dias 9 e 10 de maio de 2018. Os votos serão coletados em urnas voto no país inteiro com 92 seções sindicais.  É uma campanha que é feita no país inteiro pela militância que acredita nas reivindicações e nas bandeiras que o movimento RENOVA ANDES está apresentando. Vamos enfrentar o portanto uma outra chapa, essa outra também de bravos companheiros que conduziram o sindicato por 14 anos, mas nesses 14 anos não teve uma chapa que se colocasse como uma alternativa. É importante a renovação pois a categoria essa discutindo qual é o rumo que deve ter, isso é a CHAPA 2- RENOVA ANDES.

P – Como está a campanha em todo Brasil?

R-  A campanha a CHAPA 2- RENOVA ANDES é conduzida por força ação e persistência do nosso coletivo de professores e nós temos grupos de nosso lado em 12 regionais no país e esses grupos estão conduzindo campanha. Nós seguimos um princípio da classe trabalhadora que financia suas ações. Nós somos 83 professores que estamos compondo a direção nacional temos aqui na Bahia compondo a direção a professora Marise essa regional que a Bahia faz parte pega Sergipe e Alagoas. E é uma estrutura enorme só para compor a chapa é uma dificuldade sem tamanho é uma grande vitória para nós, escrever uma chapa essa chapa tem núcleos em 12 regionais. Pois a ação política de um coletivo não acaba com as leis, continua com a luta em defesa do movimento docente.

P – Qual será a principal defesa do a CHAPA 2- RENOVA ANDES?

 R- Como se estrutura o sindicalismo o que temos que fazer nesse momento histórico enquanto os sindicalistas é defender não só corporativamente os nossos interesses, mas também nossas instituições a nossa educação a nossa Ciência e Tecnologia universidades de no nosso país.

carregando