• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT Bahia realiza reunião ampliada para um Dia do Basta unificado e forte

Publicado: 23 Julho, 2018 - 11h25 | Última modificação: 23 Julho, 2018 - 11h30

Escrito por: Ascom CUT Bahia - Aline Damazio

notice

A organização para o dia do Basta - Dia Nacional de Paralisação e Mobilização -, na capital e no interior da Bahia já está acelerada e com cada vez mais participação de centrais, categorias e movimentos sociais. Foi realizada na última sexta, 20, reunião ampliada para organização do Dia do Basta na Bahia, na sede CUT Bahia reuniu um comitê com dirigentes sindicais, militantes, representantes de movimentos sociais para definições de ações e estratégias de fortalecimento e ampliação para um “Dia do Basta” com impacto mobilizador na sociedade além de planejamentos para o dia 15 de agosto, data histórica de enfrentamento e defesa da democracia, quando será registrada a candidatura de Lula.

Durante a manhã todos contribuíram com ideias e melhores práticas de atos que efetivamente passem a sociedade o fundamental momento que enfrentamos no país e que somente atrás de mobilização do povo poderemos mudar esse atual cenário, político social do Brasil.

Ao final do encontro foi definido que a CUT Bahia se reunirá com as outras centrais da Bahia para um Dia do Basta que abranja todas as categorias. Os locais, atos de paralisação na capital e no interior em todas as bases a partir das 5h da manhã com caminhada à tarde, do Campo Grande à Praça Castro Alves, a partir das 14 horas, e com um diferencial o ato comemorativo aos heróis da Revolta dos Búzios na Praça da Piedade se unirá a caminhada do Dia do Basta para fortalecimento do movimento nacional de paralisação.
Para o secretário geral da CUT Lenocínio Maciel o Dia do Basta é fundamental para alertar a sociedade. “Estamos fazendo nosso papel enquanto central para mobilizar o maior número de trabalhadores e trabalhadoras para juntos dizer que basta de aumentos de impostos, vendas de empresas estatais e desrespeito a democracia”.

Já o presidente da CUT Bahia, Cedro Silva destaca a importância povo nas ruas para protestar. “Não vamos nos calar, vamos para o enfrentamento dessas tentativas desse governo golpista de tentar acabar com o país. São 14 milhões de desempregados, reforma “anti-trabalhista”, aumento consecutivo de gás de cozinha, da gasolina, tentam privatizar a Chesf e Petrobrás bens públicos de cada um de nós! Vamos para o enfrentamento para as ruas para dizer que queremos que o Brasil feliz de novo”, afirma Cedro.

Até o dia do Basta, dia 10/8, serão realizados atos para reforçar o dia que o povo que já sente os efeitos do retrocesso vai às ruas para lutar por mudança já! Em breve divulgação de calendário de mobilizações.

Entenda o Dia do Basta

A CUT junto as demais centrais organizam um ato nacional para despertar a indignação dos/as trabalhadores/as e enfretamento aos absurdos que o governo golpista de Temer vem praticando contra o povo.

Vamos dizer Basta de desemprego - A taxa de desocupação praticamente dobrou desde o final de 2014. O país possuía 6,5 milhões de desocupados no final de 2014 e registrou, em maio de 2018, 13.2 milhões de desocupados (taxa de desocupação de 12,7%).

Vamos dizer Basta ao aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis - Desde a implementação da nova política de preços da Petrobrás no governo Temer, os preços de seus principais produtos têm sido aumentados muito acima da inflação. A gasolina aumentou em mais de 31%, o etanol em 22,6%, o diesel 14.3%, o botijão de gás 17,2% durante o governo Temer.

Vamos dizer Basta de retirada de direitos da classe trabalhadora - A reforma trabalhista aprovadas durante o governo golpista têm como objetivo retirar direitos históricos da classe trabalhadora e precarizar o trabalho, além de fragilizar os sindicatos e dificultar o acesso à Justiça do Trabalho.

Basta de perseguição ao ex-presidente Lula - A prisão de Lula só se explica por motivos políticos: um dos objetivos centrais do golpismo é impedir sua candidatura (dada à grande chance de ser eleito, caso concorra à Presidência).

carregando