MENU

1º de maio em Salvador é comemorado com muita música.

Publico lotou o Farol da Barra para dançar ao som do raggae do Adão Negro e do pagode do Psirico.

Publicado: 02 Maio, 2024 - 18h29 | Última modificação: 02 Maio, 2024 - 19h02

Escrito por: CUT Bahia | Editado por: Orlando Pereira

Orlando Santos
notice
foto do 1º de maio em Salvador

O dia 1º de maio em salvador foi marcado pela participação da classe trabalhadora que compareceu ao Farol da Barra para fazer aquilo que o baiano sabe fazer  melhor do que ninguém; se divertir.

Milhares de pessoas atenderam ao chamado das Centrais Sindicais que de forma unificadas realizaram aquele que foi, se não maior, um dos maiores eventos sindical do Brasil.

A festa começou as 0:7h da manha com um momento esportivo denominado de “Treinão”, onde os trabalhadores puderam correr uma mini maratona,  que teve como ponto de partida o Farol da Barra, chegando ao bairro da Ondina e retornando ao local de partida completando um percurso de 5 km.

As 08:h o publico teve acesso a diversos serviços oferecido pelo governo do Estado através de seus órgãos, foram expedidos documentos como RG e carteira de trabalho, aplicação da dose de reforço da covid19  e HN1 com atualização da carteira de vacinação.

Enquanto outra parte do publico entrava em forma e se divertia dançando em uma aula de ginastica aeróbica ao ritmo bem baiano orientadas  por profissional de educação física.

Na parte da tarde foi a vez de da voz do povo, em cima de um mine trio, lideranças de sindicatos e de outras entidades, discursaram dando seu grito de ordem contra a retirada de direitos da classe trabalhadora, o genocídio de Israel contra a Palestina na Faixa de Gaza, contra  o racismo estrutural, contra a precarização de trabalhadores por aplicativos e pelo fortalecimento da democracia e contra o fascismo.

Logo após o primeiro momento de fala, o publico pode se divertir cantar e dançar ao som da Banda de reggae Adão Negro, que comandada pelo seu vocalista Serginho, levou o publico a relembrar grandes sucessos que fez parte da luta da classe trabalhadora como a musica “Liberdade “um verdadeiro  hino que está na cabeça da classe trabalhadora,  de autoria do cantor e compositor Edson Gomes , um dos artistas mais querido e admirado pelos  baianos que foi homenageado por Serginho que destacou - ” eu quero pedir a vocês uma atenção especial  a este cara que merece todo nosso respeito pelo trabalho realizado em prol da musica reggae baiana e que tem sido esquecido de ser convidado para tocar em grandes eventos como este, aplaudam, Edson Gomes”.

Após o publico se deleitar na musica reggae do Adão, foi a vez dos presidentes das Centrais sindicais discursarem. A presidenta da CUT Bahia , Maria Madalena firmo (Leninha) destacou em seu discurso” que dentre as pauta da classe trabalhadora está o trabalho descente, aposentadoria digna, redução dos Juros e dignidade para a classe trabalhadora Brasileira.

Leninha convocou ainda a classe trabalhadora e os movimentos sócias para no dia 22 de maio marcharem em direção a Brasília para apresentar estas  pautas  de reinvindicação ao Governo Lula e ao Congresso Nacional.

Leninha encerrou seu discurso aplaudida pelo publico presente no evento.

E para não perder o hábito ,o evento não poderia terminar de outra forma que não fosse ao som do pagodão baiano.

A banda de pagode Psirico, comandada pelo cantor Marcio Vitor fez o publico quebrar até o chão fechando com chave de outro aquele que foi um dos maiores eventos do país.